Você está aqui: Capa / Artigos / Ano Novo, mente velha! Ôpa, desculpe! … mente nova!

Ano Novo, mente velha! Ôpa, desculpe! … mente nova!

“A malícia matará o ímpio. Salmo 34:21. … escolhe pois a vida, para que vivas … Deuteronômio 30:19.”

Um novo ano só pode ser melhor do que os anteriores em nossa vida se mudarmos nossa forma de viver, e adotarmos um estilo de vida melhor, o qual envolve o que comemos, o repouso, a qualidade e quantidade de sono, a prática de atividade física, o local onde vivemos, a maneira de pensar, de lidar com as emoções, nossas relações sociais, espirituais, etc. Muitas enfermidades físicas e mentais podem ser curadas somente com a mudança do estilo de vida, sem cirurgia e sem medicação sintética.

Mudar aspectos do estilo de vida pode não ser fácil. Para pessoas bem determinadas, pode não ser difícil. Depende. Depende de que fator no estilo de vida se deseja mudar. Há empresários muito proativos no mundo dos negócios, com dificuldades de lidar com o afeto no mundo do relacionamento consigo e com as outras pessoas.

Mudar o que a gente é não é fácil. Tendemos a ficar na zona de conforto porque é mais cômodo. Mudar pode exigir sacrifício. E neste mundo pós-moderno no qual vivemos, a ideia central é: tudo é válido para buscar seu bem-estar, e sem sacrifício!

Mas bem-estar é buscado geralmente com prejuízo do bem-ser. Como assim? Bem-ser, no contexto dessa matéria, é como você é na verdade. É o que vai dentro e que só você sabe ou talvez nem sabe! Isto é diferente de como se sente hoje, amanhã, ou do que ganhou na vida materialmente. Alguém pode experimentar bem-estar quanto aos prazeres carnais, monetários, poder social, mas estar muito mal quanto ao bem-ser.

Bem-ser depende de paz interior, serenidade, ética, honestidade, verdade. Bem-ser é ser bom caráter. Há milionários (que tem bem-estar) sem bem-ser porque tem caráter péssimo, sendo corruptos, mentirosos, trapaceiros, desonestos.

Jesus Cristo sabiamente disse: De que adianta ganhar o mundo todo e perder a vida? De que vida Ele estava falando? Vida do bem-ser, do bom caráter, que o leva a dormir cada noite com a consciência tranquila e em paz. Vida que pode se estender para a vida eterna.

A malignidade avança rapidamente na sociedade. A guerra contra o bem-ser é cruel. Os aplausos e holofotes são cada vez mais voltados para os mau-caráter que vivem o bem-estar à custa de fraude, mentira, furto, abuso de poder, arrogância, cinismo.

Hoje escutei numa TV ao almoçar num restaurante (por que a maioria dos estabelecimentos no Brasil só liga o mesmo canal de TV como opção para os clientes? Por que não colocam num canal que educa?) que um jovem assaltante roubou a bolsa de um cadeirante. O que se passa na mente de um cara que assalta um paralítico numa cadeira de rodas? Acho que o mesmo que ocorre na mente de corruptos, sejam Magistrados, Médicos, Advogados, Deputados, Senadores, Prefeitos, Empresários, etc.: “Só quero minha vantagem e enriquecimento”. É igual! Mas a pergunta mais importante, creio, nestes casos é: como estes assaltantes (na rua e nos gabinetes) foram educados na família de origem? Foram ensinados a furtar? A sociedade poderá melhorar sem boa educação comportamental, espiritual, moral, desde criança na família de origem?

Claro, nem todo corrupto teve pai e mãe que o educou com mentiras, gerando corrupção na vida adulta. Cada um faz sua escolha para o bem ou para o mal, para a verdade ou para a mentira, para ajudar as pessoas ou para explorá-las. Mas quem, o que, faz a escolha na nossa mente que nos leva a ser o que somos na prática, no caráter.

Só haverá bom Novo Ano, bom candidato, político, patrão, gerente, funcionário, se a escolha da pessoa for para o bem, para a verdade, honestidade, para de fato ajudar os outros. Ingenuinidade dizer isto? O futuro dirá. A Verdade diz que a malícia matará o ímpio, ainda que não imediatamente. Escolha a vida para que você viva a vida do bem-ser. Bom Ano Novo com mente nova que decide ser do bem e produzir o bem!

_______

Dr. Cesar Vasconcellos de Souza

www.doutorcesar.com.br

 

 

Sobre Cesar Vasconcellos de Souza

Os comentários estão fechados.

Scroll To Top