Você está aqui: Capa / Artigos / As Bem-Aventuranças e a Saúde da Mente

As Bem-Aventuranças e a Saúde da Mente

A palavra Natal, do latim “natalis”, significa “nascimento”. Geralmente é associada ao nascimento de Jesus Cristo, o Deus dos cristãos que viveu em meio à humanidade como homem, figura histórica, vivendo aqui na Terra por cerca de 33 anos há 2017 anos atrás.

Em Sua vida na Terra Jesus certa ocasião apresentou um sermão ao ar livre, chamado de o Sermão do Monte ou Sermão da Montanha, que está registrado na Bíblia no Evangelho de Mateus capítulo 5 e no Evangelho de Lucas capítulo 6. Popularmente a palavra sermão é usada no sentido de dar uma bronca em alguém. Mas sermão significa um discurso no qual se passa ensinamentos religiosos. No Sermão do Monte Cristo passou informações sobre viver a vida espiritual na prática, e iniciou este Sermão com as bem-aventuranças.

Vida espiritual não é a que você vive só quando vai na sua igreja, mas, segundo Cristo, é a que se deve praticar, seja capinando na roça, administrando uma empresa na Avenida Paulista em São Paulo, na Avenida Rio Branco no Rio de Janeiro, dando aulas na escola, realizando uma cirurgia, no escritório, varrendo a rua, etc. Jesus não separava a vida em duas, uma secular que Ele vivia de domingo até sexta-feira e outra religiosa que Ele vivia nos sábados quando costumava ir nas sinagogas (ver Evangelho de Lucas capítulo 4 e versículo 16). E ao dizer que uma pessoa seria bem-aventurada era o mesmo que falar que ela seria feliz. Assim, Ele começa o discurso do monte dando esperança para os que sentiam necessidade dela, mostrando o caminho da felicidade.

Disse Ele: “Bem-aventurados (felizes) os pobres de espírito, porque deles é o Reino dos Céus; bem-aventurados os que choram, porque eles serão consolados; bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra; bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão fartos; bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia; bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus; bem-aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus; bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus, bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem, e mentindo, disserem todo o mal contra vós, por minha causa.” (Mateus capítulo 5, versos de 3 à 11).

As bem-aventuranças são as saudações de Cristo, não somente aos que creem, mas a toda a família humana. Ali no monte Jesus parece haver esquecido por um momento que Ele estava no mundo, não no Céu; e usou a saudação familiar do mundo da luz. As beatitudes fluíram de Seus lábios como o jorro de uma corrente de vida há muito represada.

No Sermão do Monte as palavras de Cristo não contêm nada que não seja essencial. Ele é uma admirável produção, todavia tão simples que uma criança pode estudar sem incompreensões. O monte das bem-aventuranças é um símbolo da elevação espiritual em que Cristo sempre Se achava. Toda palavra que Ele proferia, provinha de Deus e falava com autoridade do Céu. “As palavras que Eu vos digo”, disse Ele, “são espírito e vida.” João 6:63. Seu ensino é cheio de enobrecedoras e salvadoras verdades, às quais as mais elevadas ambições dos homens e suas mais profundas indagações não se podem comparar. Ele estava desperto para a terrível ruína impendente sobre a raça, e veio, por Sua justiça, salvar pessoas, trazendo ao mundo definida certeza de esperança e alívio.

Existe, através das bem-aventuranças, uma progressão na experiência cristã. Os que sentiram sua necessidade de Cristo, os que choraram por causa do pecado, e se sentaram com Cristo na escola da aflição, hão de, com o divino Mestre, aprender a ser mansos. Junto da Natureza que Ele criou, sem som algum a quebrar o silêncio senão o cântico dos pássaros, no monte, Jesus desenvolveu os princípios de Seu reino.

O Grande Mestre dá ao ser humano, neste sermão, uma visão do mundo futuro. Ele o traz, com seus atraentes bens, ao alcance da vista. Ele apresenta os direitos reais de Deus e do Céu. Se Ele pode fixar a mente na vida futura e suas bem-aventuranças em comparação com os interesses passageiros deste mundo, o chocante contraste fica profundamente gravado na mente. Ele remove assim as coisas do tempo e dos sentidos das afeições ordinárias de nossa vida, e dá-lhes seu lugar como subordinadas às realidades mais altas e eternas. Investe a vida das mais elevadas responsabilidades. Mostra ao ser humano que precisamos viver para um propósito, separando-nos de todas as vaidades da vida. Este é o Natal que Jesus Cristo nos convida a participar, porque praticar os ensinos do Sermão do Monte conduz à verdadeira saúde mental e felicidade. Feliz Natal deste tipo para você!

_______

Cesar Vasconcellos de Souza

www.doutorcesar.com.br

 

 

Sobre Cesar Vasconcellos de Souza

Os comentários estão fechados.

Scroll To Top