Você está aqui: Capa / Artigos / Pornografia, masturbação, e lesão cerebral

Pornografia, masturbação, e lesão cerebral

Nosso organismo luta para produzir funções equilibradas (fisiologia) que visam manter o bom funcionamento daquele sistema (digestório, nervoso central, urinário, imunológico, etc.) ou órgão (fígado, pulmões, coração, etc.). Esta meta visa um objetivo maior: manter a vida. Quando praticamos atos ou hábitos que alteram estas funções normais, o corpo-mente sente o impacto, apresenta sintomas, tenta recuperar o bom funcionamento, mas pode sucumbir, falir, que é quando surgem as doenças e a morte.

A doença é um esforço do organismo para tentar se recuperar das consequências da violação das leis da saúde. Leia de novo esta frase anterior. Lendo de trás para a frente, ficaria assim: A violação das leis da saúde produzem consequências que se apresentam na forma de uma doença.

Mas por que o conceito acima inicia seu enunciado com a frase: “A doença é um esforço do organismo para tentar se recuperar”? Doença não é algo negativo? Como é que ela pode ser um esforço para o corpo-mente se recuperar?

Um exemplo na área clínica: você ingere comida contaminada, e surge a diarreia. Vamos chamar diarreia de doença (ela é um sintoma, e doença é um conjunto de sinais e sintomas), só para efeito da explicação que quero dar. Ao ter sido intoxicado por alimento contaminado, a diarreia é algo bom ou ruim? É ruim porque pode desidratar, é desconfortável, pode prejudicar seu trabalho, etc. Mas é bom porque é a tentativa do organismo expelir aquilo que o contamina. Neste exemplo, a diarreia é um esforço do organismo para tentar se recuperar das consequências da violação das leis da saúde.

Um exemplo na área psicológica/psiquiátrica: você ficou órfão de pai e mãe quando tinha 7 anos de idade, na adolescência sofreu um acidente importante de carro, no início da vida adulta teve um rompimento traumático do noivado, na meia idade foi demitido do emprego de maneira injusta e num momento economicamente difícil para você. Isto tudo, e mais ainda, aumentou muito sua ansiedade ao longo dos anos, gerando uma angústia difícil de suportar e de mantê-la na consciência. Sua mente jogou todas as emoções ligadas a estes conflitos para debaixo do “tapete” da consciência, de modo que você “esqueceu” destas dores emocionais. Mas surgiu uma fobia que impede você de viajar sozinho, de subir em elevador sem acompanhante, além de outros sintomas. Fobia é um medo exagerado que se manifesta de modo diferente nas pessoas. Pode ser fobia de altura, de insetos, de estar em ambiente aberto como na rua, num shopping, e por isso a pessoa se retrai, passa a evitar sair de casa, ou só sai ou só vai em certos locais que geram muita ansiedade acompanhado. A fobia é um deslocamento da angústia para um ponto em que a pessoa ainda tem algum controle. Como assim? Se você desenvolveu fobia de altura, dá para ter algum controle sobre este sofrimento evitando locais altos, evitando viajar de avião e preferindo ônibus ou automóvel.

Assim, a fobia é um esforço do organismo para tentar se recuperar das consequências da violação das leis da saúde. Que leis da saúde mental foram transgredidas, surgindo a fobia? As que tem que ver com o comportamento, como respeito próprio, expressão e experimentação de afeto, colocação de limites, perdão, etc.

Quando uma pessoa se envolve em pornografia e masturbação, ela estimula o cérebro a produzir um bombardeio de dopamina, que é um neurotransmissor potente que tem que ver com o prazer, ânimo. Em situações normais de alegria, a dopamina (também a serotonina, a endorfina, etc.) é produzida e ativa os circuitos cerebrais. Mas quando ela é exageradamente produzida, quando há um estímulo anormal para sua liberação, ela passa a prejudicar o bom funcionamento cerebral. Daí o cérebro, “percebendo” isto, tenta controlar a situação, tenta se defender da agressão através do bloqueio dos receptores das células do sistema nervoso central que estão nos neurônios seguintes que compôem os circuitos cerebrais. O neurônio fecha a recepção do neurotransmissor liberado exageradamente pelo estímulo pornográfico, da masturbação, para evitar estimulação exagerada.

A descarga de neurotransmissores no cérebro no caso da prática da masturbação e da pornografia, é correspondente à que ocorre no uso de drogas como a cocaína.

Diante, então, da descarga exagerada destas substâncias, o cérebro pode se esgotar, os circuitos cerebrais podem apresentar defeitos, e surgem sintomas na vida da pessoa, como irritabilidade, ansiedade, dores/espamos musculares, insônia, depressão. Por quê? Porque ao fechar os receptores do próximo neurônio, na cadeia eletroquímica cerebral, o cérebro faz um esforço para tentar se recuperar das consequências da violação das leis da saúde. Grosseiramente comparando, é como colocar um redutor num cano de água que fecha parcialmente a passagem do líquido para evitar seu desperdício. No caso do fechamento do receptor cerebral, isto ocorre para evitar estímulo exagerado, anormal, que pode esgotar o cérebro.

Você pode experimentar prazer ao encontrar uma pessoa querida, observar uma cena exuberante da Natureza, ao ter um momento de enlevo espiritual ao orar, ao ajudar uma pessoa de forma voluntária, etc. Nestes casos ocorre uma descarga normal de neurotransmissores que produzem prazer. Mas se você exagera na produção desta descarga, com pornografia, masturbação, drogas como cocaína, etc., o cérebro fica “treinado” para só funcionar “bem” com estes atos e substâncias. Isto é o vício. Mas felizmente existe a neuroplasticidade, que é a capacidade do cérebro lesado, viciado, desenvolver novamente funções normais. Para isto você precisa admitir que perdeu o controle sobre impulsos para a exposição à pornografia e prática da masturbação, precisa escolher evitar estas coisas que prejudicam sua saúde e adotar em sua vida princípios saudáveis.

_______

Dr. Cesar Vasconcellos de Souza – www.portalnatural.com.br

 

 

 

 

 

Sobre Cesar Vasconcellos de Souza

Scroll To Top