Você está aqui: Capa / Artigos / Transtorno de Personalidade – Rigidez do Ser – Parte 3 de 3

Transtorno de Personalidade – Rigidez do Ser – Parte 3 de 3

Vamos finalizar esta série sobre o Transtorno de Personalidade (TP) lembrando que o TP é um comportamento rígido com traços exacerbados ou muito aumentados do que seria um meio termo de normalidade. Por exemplo, uma pessoa pode ser perfeccionista flexível ou inflexível. A flexível relaxa e não fica obsessiva com seus erros. Já a inflexível se torna autodepreciadora, exigente demais com os outros, causando problemas e sofrimentos pessoais e interpessoais, o que se encaixaria no diagnóstico de TP.

Um exemplo de TP é o Transtorno Obsessivo-Compulsivo da Personalidade ou Anancástico caracterizado por comportamento exagerado de perfeccionismo, levando seu portador a se preocupar com regras, leis, normas de maneira obsessiva, dificuldade séria de expressar sentimentos de compaixão, ternura, empatia e tolerância com parentes, amigos e colegas de trabalho. Trata-se de uma pessoa presa com coisas como limpeza, arrumação das gavetas, armários, escrivaninha, com tendência a conferir várias vezes se fechou o gás, se trancou a porta devidamente, sofrendo com dúvidas sobre isto.

Uma pessoa assim é comum impedir a si mesma de prazeres por causa da rigidez que pode atingir o lado econômico (querendo sempre poupar), negando desejos pessoais, porque se admitir ter um determinado desejo que exige gastar, ela não consegue lidar com isto porque sua mente obsessiva com poupança não admite o gasto, daí nega o desejo e vive uma vida pobre em termos de se permitir curtir algumas coisas boas da vida que ela teria condições financeiras de realizar o desejo. Nega o prazer, geralmente dizendo que não precisa daquilo. Ou se dá um passo para realizar um desejo, tende a fazer isto de forma tão meticulosa e planejada que acaba prejudicando o próprio prazer por causa das exigências pessoais de ordem, gastos, economia, controle, etc.

Uma pessoa com Transtorno de Personalidade Obsessiva se preocupa demais se está fazendo a coisa certa. É teimosa, e dificilmente aceita a opinião dos outros quanto à fazer algo fora do seu padrão obsessivo. Perde muito tempo arrumando coisas, e este jeito perfeccionista de ser perturba o relacionamento familiar e no trabalho. Também cria problemas porque quer guardar objetos usados que geralmente não são úteis para nada.

Há pessoas com este TP que acabam usando uma grande parte da casa devido ao armazenamento obsessivo e compulsivo de qualquer coisa, produzindo muita ansiedade e quando o indivíduo tenta parar com suas “manias” (de arrumação, de economia, acumular coisas), a ansiedade piora. Obsessão é ficar pensando demais no assunto, e compulsão é praticar o que a obsessão pensa. E uma pergunta cabe aqui: É a ansiedade exagerada que produz a obsessão-compulsão, ou é esta última que produz tal ansiedade?

Outra característica da pessoa com este tipo de TP é a dúvida que leva a grave dificuldade de tomar decisões. Ela pode ficar ruminando uma ideia por longo tempo sem decidir. Fica numa hesitação sofrida.

O que pode ajudar neste caso? (1)A pessoa precisa admitir que ela tem o problema. (2)Escolher procurar e receber ajuda para mudar. (3)Entender e perceber que existem formas de pensar distorcidas em sua mente, baseadas em crenças errôneas desenvolvidas na vida. Ela pode ter sofrido algo no passado e à partir daí ter desenvolvido uma maneira controladora de funcionar, gerando perfeccionismo, que a prende numa atitude rígida, eliminando quase sempre o prazer na vida. (4)Aprender a cultivar o conceito de que precisa desidealizar as coisas, aceitando que a perfeição é uma meta que nunca atingimos plenamente. Aceitando esta limitação, a ansiedade pode diminuir, e também a agressividade, a explosão emocional, a hostilidade, que prejudicam o contato agradável com as pessoas. (5)olhar para seus erros cometidos involuntariamente como momentos para aprender ao invés de se depreciar e angustiar. (6)Aprender a se permitir ter momentos de relax, de lazer, de curtir algo agradável, desfrutando amizades. Isto significa relaxar, que é importante para nossa saúde física e mental. (7)A pessoa com tendência obsessiva-compulsiva pode entender que seus pensamentos tendentes à tragédias dificilmente ocorrem. Uma mentalidade com ansiedade exagerada provoca sofrimento por coisas que talvez nunca ocorrerão. Será bom para esta pessoa dar uma olhada para os últimos anos e ver o quanto de suas preocupações obsessivas realmente ocorreram. E poderá ver que provavelmente ocorreu muito pouco, muito menos do que seu jeito dramático de pensar dizia.

_______

Cesar Vasconcellos de Souza

www.doutorcesar.com.br

 

Sobre Cesar Vasconcellos de Souza

Os comentários estão fechados.

Scroll To Top